top of page

Baleia-jubarte morta encalha em praia de Guaratuba

É o primeiro registro de encalhe da espécie nesta temporada


Foto: Divulgação/PMP-BS/LEC-UFPR


Uma baleia-jubarte (Megaptera novaeangliae) encalhou na manhã de hoje, 24, na praia do balneário de Brejatuba, em Guaratuba. A equipe do Laboratório de Ecologia e Conservação (LEC) da Universidade Federal do Paraná (UFPR), via Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS), se deslocou até o local para realizar os procedimentos necessários. Foi o primeiro registro confirmado da espécie este ano no Paraná.


A equipe do PMP-BS foi acionada na tarde de ontem, 23, quando a baleia foi avistada morta e derivando no mar próximo a Guaratuba. Desde então, os profissionais estavam monitorando o animal até seu encalhe na manhã desta quarta-feira.


O mamífero marinho é um macho com 11,4 metros de comprimento e está em avançado estado de decomposição. Ainda não é possível determinar a causa da morte. Serão feitas análises investigativas para avaliar a condição do animal. Não foram encontrados sinais de interação com a pesca.


A área de encalhe foi isolada para coleta de amostras do animal no local. A bióloga e coordenadora do PMP-BS/LEC-UFPR Camila Domit, alerta que é importante que a população respeite o espaço de isolamento para a equipe realizar o trabalho.


“As baleias-jubartes são migratórias e apesar de não estarem na lista de espécies ameaçadas, a sua conservação depende de ações para protegê-las; entender a condição de saúde da população dessa espécie por meio da avaliação dos animais mortos é uma informação de grande relevância”, afirma a bióloga Domit.


Após a coleta dos materiais biológicos, a Prefeitura de Guaratuba fará a destinação da carcaça da baleia, com o apoio da equipe de veterinários, biólogos e técnicos de nossa equipe PMP-BS/UFPR. Esta ação integrada é parte do Protocolo de atendimento ao encalhe de animais marinhos no Paraná (PRAE), que conta com o IBAMA, IAT e SEDEST, além de prefeituras e da UFPR.



Sobre a espécie


A baleia-jubarte anualmente utiliza as águas brasileiras, entre maio e novembro, principalmente, para reprodução. A área de maior concentração dos animais para reprodução é o litoral da Bahia, mas jubartes têm sido avistadas com frequência nos últimos anos na região sudeste e sul do Brasil.


No Brasil, este ano já foram registrados 47 encalhes de baleias-jubartes, segundo o Instituto Baleia Jubarte (com dados das instituições membros da Rede de Encalhes e Informação de Mamíferos Aquáticos do Brasil - REMAB). No Paraná, no ano passado foram registrados 16 encalhes dessa espécie de baleia.



Sobre o PMP-BS


O Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS) é uma atividade desenvolvida para o atendimento de condicionante do licenciamento ambiental federal das atividades da Petrobras de produção e escoamento de petróleo e gás natural na Bacia de Santos, conduzido pelo Ibama.


Esse projeto tem como objetivo avaliar os possíveis impactos das atividades de produção e escoamento de petróleo sobre as aves, tartarugas e mamíferos marinhos, através do monitoramento das praias e do atendimento veterinário aos animais vivos e necropsia dos animais encontrados mortos.


O projeto é realizado desde Laguna/SC até Saquarema/RJ, sendo dividido em 15 trechos. O LEC/UFPR monitora o Trecho 6 (Paraná), compreendido entre os municípios de Guaratuba e Guaraqueçaba.


Ao encontrar animais marinhos debilitados ou mortos nas praias paranaenses é possível acionar a equipe do PMP-BS/Laboratório de Ecologia e Conservação (LEC) do Centro de Estudos do Mar (CEM) da UFPR pelo 0800 642 33 41 ou pelo whatsapp (41) 9 92138746.


Comentários


bottom of page